Arquitectura de uma Questão

Arquitectura de uma Questão

As nossas questões são resposta às nossas experiências. São o resultado de vivermos num mundo que é, ao mesmo tempo, confuso e extremamente fascinante. Qual é a tua questão?

Há grande humildade em interrogar-se. Questões honestas demonstram vontade de aprender, e mais importante, demonstram a humildade necessária para criar espaço para aprender.

Platão acreditava que as palavras mais importantes do seu mestre Sócrates foram: "a vida que não é examinada, não vale a pena ser vivida". Questionar-se parece ser intrinsecamente humano e algo fundamental à experiência de ser.

Claro que há muito a ser dito. Como um médico a meio de uma cirurgia ou um piloto que enfrente turbulência, firmeza e confiança são inestimáveis. Mas e se as nossas questões não poderem ser respondidas numa sala de aula? Ou não forem resolvidas com uma equação?

"Questionar-se parece ser intrinsecamente humano"

As questões que dominam a minha experiência vão além do material. Precisam de mais que uma descrição das qualidade do potássio ou da estrutura molecular de uma folha para obter uma resposta significativa.

Eu coloco todo o tipo de questão. Preocupo-me com o futuro. Pergunto-me se o desaparecimento das calotas polares vai provocar inundações no Bangladesh. Eu pergunto-me se a tecnologia nos torna mais ou menos humanos. Pergunto-me porque fico triste às vezes ou porque motivo magoo aqueles que amo. E tento perceber porque nasci tão privilegiado enquanto outros sofrem. Porque tenho medo de aranhas? Terei cancro? Serei gordo quando envelhecer? Já terei alcançado o suficiente? Porque estou aqui?

As nossas questões mais profundas e sinceras são construídas a partir das experiências que mais nos afectam. Como arranha céus no horizonte, elas surgem. Questões de amor e medo, de sofrimento e propósito, ofuscam as nossas vidas, mas por vezes é como se fossem demasiado grandes para compreender. E sentimo-nos perdidos, olhamos para baixo e colocamos pequenas questões acerca de fissuras no pavimento.

"We should be bold in the architecture of our questioning"

We should be bold in the architecture of our questioning and indignant in the design. Why settle for small questions when, if we have the courage, skyscrapers wait for us.

The life of Jesus has been a magnet for questions for over 2000 years. How did a carpenter executed by the Romans become the most famous man in history? Was Jesus even historically real? How can God be a man? How can this have any significance for my life?

The biblical accounts of Jesus’ life are littered with examples of people asking him questions, often in accusatory tones, and usually he responded with a question. One day Jesus asked this question of his friends: 'Who do you say I am?'

Tim May is the Head of Alpha UK. Find him on Twitter: @TGMAY.

Photography by Alex Douglas 

Want to find an Alpha near you

Try Alpha

Find out more about Alpha

Learn more